RSS

quarta-feira, 12 de maio de 2010

A HISTÓRIA DO VINHO DE MARSALA

Mótya, a ilha misteriosa em frente a Marsala, era um importante posto fenício de trocas. No século VIII antes de Cristo, seus habitantes já produziam um vinho bem forte, o qual costumavam usar como uma valiosa mercadoria. Os gregos destruíram Mótya em 397 antes de Cristo, e os cartagineses fundaram, posteriormente, Lilibacum ( a Marsala de hoje ) na costa, em frente à ilha. Lilibacum foi atacada por Pirro e pelos romanos, pois era considerada o principal local de trocas entre a Sicília e a África. Anos depois, os romanos foram substituídos pelos árabes que, por sua vez, deram seu lugar aos normandos. Apesar de ter sido conquistada por tantos povos, a cidade continuou a existir. Seu nome atual deriva da palavra árabe Marsah-el-Allah, que significa "Portão de Deus". 

Muito do sucesso do vinho fino proveniente da cidade se deve aos estrangeiros, no caso, aos britânicos. Depois de produzir e comercializar o Porto, o Madeira e o sherry de Jerez, os ingleses chegaram a Marsala, em 1773. Lá, eles provaram o forte vinho produzido no local. Aplicando as mesmas técnicas de produção usadas em outros vinhos fortes que já haviam comercializado, lançaram no mercado a nova bebida. Foi a partir daí que Marsala embarcou em sua aventura pelo mundo afora. 

Em l880, Paolo Pelllegrino, um vinicultor conceituado e público, fundou um estabelecimento vinícola. Um novo rótulo para o vinho de Marsala foi então criado - o vinho Pellegrino. 

Quando Paolo morreu, seu filho Carlo, também um notável vinicultor e fazendeiro, assumiu a firma com o auxílio da esposa Josephine Despagne, uma nobre francesa pertencente a uma família de vinicultores tradicionais. 

Com décadas de experiência em vinhos, a família Pellegrino começou a produzi-los e comercializa-los diretamente . O sucesso foi imediato. Desde então, a companhia tem sido líder de mercado, exportando o vinho de Marsala para todo o mundo e assumindo um importante papel na economia local. A administração notória de Paolo Pellegrino, filho de Carlo e Josephina, em parceria com seu irmão adotivo Vincenzo Alagna, fez crescer o nome da companhia em outros mercados do mundo. 

As vinhas da família Pellegrino estendem-se por mais de 400 hectares e são a expressão tangível da ligação de uma família com o solo generoso da Sicília. 

Pellegrino produz as seguintes variedades de Marsala, classificados de acordo com a preparação e as técnicas, essenciais para assegurar a maturação do vinho, pela alta qualidade dos barris de carvalho: 

Marsala Fine - com maturação de aproximadamente um ano. Produz os vinhos "Marsala Demi-sec" e "Marsala Ruby";
Marsala Superiore - com maturação de pelo menos dois anos. Produz o "Marsala Oro", "Marsala Superiore Secco" e "Marsala Garibaldo Dolce";
Marsala Vergine - com maturação de, no mínimo, cinco anos. Produz o "Marsala Vergine Soleras";
Marsala Extra-Vergine - com maturação acima de dez anos. Produz o "Marsala Vintage 1962". 

Como todas as outras lendas da Sicília, Marsala perde-se na névoa do tempo. A área possui um clima morno e úmido, com pouca chuva. É constantemente invadida por ventos quentes provenientes do Saara e por correntes úmidas do Golfo de Leone. As antigas vinhas administradas pelos Pellegrino foram, aos poucos, expandindo-se morro acima. Atualmente, é nessa região que as melhores uvas para os mais finos produtos provenientes do vinho são produzidas. 

A baixa quantidade de chuvas durante o ano facilita o desenvolvimento de criptogramas. O uso de tratamento químico é, portanto, reduzido ao mínimo. 

Todo o vinho produzido na área pode ser tido com um produto ecológico. 

Marsala é produzido com as uvas brancas de Catarrato, Grillo e Inzólla. O Marsala "Ruby", com as uvas Pignatello e d'Avola. 

A família Pellegrino tem misturado, ao longo do tempo, tradição e tecnologia, obtendo os melhores resultados, com a melhor qualidade. 

Seus administradores e amarzenadores assimilaram a filosofia, e sua habilidade, eles carregam ao longo dos anos, passando-a de uma geração para outra. A companhia é estruturada de acordo com os mais avançados métodos de produção. 

O vinho ou o brandy é adicionado na checagem da fermentação do mosto, sempre com o objetivo de se deixar uma quantidade variável de açucar residual, de acordo com o grau ( de doce para semi-seco ). No caso do Marsala Seco, uma quantidade de álcool é adicionada ao vinho quando a fermentação chega ao fim. No Marsala Ambra, mais mosto é adicionado para criar a característica, a cor e o sabor tradicionais. 

Marsala é envelhecido exclusivamente em barris de carvalho, os quais, de acordo com sua origem, contribuem para o seu buquê especial. 

Marsala pode ser apreciado nas mais diversas ocasiões. É um dos produtos italianos mais populares em todo o mundo. A aventura de Marsala Pellegrino, que se iniciou em 1880, continua ao redor do mundo. Onde quer que haja discernimento e prazer de viver, um Marsala Pellegrino estará sempre presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO!!!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.